sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Seja bem-vindo(a)

         Acho que algo que ganhei nestes últimos tempos é um espaço mais confortável dentro de mim mesmo para ser imperfeito e irresponsável. Tenho me permitido dizer a mim mesmo, quando não funciono como gostaria: "Tu está fazendo o teu melhor, segue adiante que eu estou aqui para te apoiar." E eu creio também que este sentimento de "não condenar-se", "de não lutar contra si mesmo", devido a sua imperfeição, é uma conquista, conseguida não por ser espiritualmente virtuoso (não acredito nisso), mas por se dispor a mostrar-se tal como se é, vulnerável, e por assumir a responsabilidade por isto. E eu tenho percebido que quem desenvolve esta habilidade de deixar ir aquela pessoa que acha que deveria ser, para ficar com quem se é, ganha a recompensa de se tratar como alguém que é merecedor, mesmo sendo imperfeito e muitas vezes irresponsável. Algo que, por sinal, deve ser novo para muitos de nós. Afinal de contas, é bem desafiador assumir a responsabilidade, sem culpa ou autoexigência, por algo que, dentro de nós, tem sido a causa de sofrimento e dor. A verdade é que, acreditando nisso ou não, você só pode dizer adeus a alguma coisa, quando a respeita, quando aprecia o que ela lhe trouxe, pois assim você a deixa ir amorosamente. É como se a dor que acumulamos precisasse da nossa aceitação para poder ser liberada. Só então poderemos atravessar o limiar, livres e aliviados. Portanto, é sempre interessante respeitar a noite escura da alma, ao passarmos por ela; e, muitas vezes, a mensagem que ela traz consigo. Isto quer dizer que você estende a mão para a escuridão e diz: "Você é boa como é; eu a compreendo. Eu não luto contra você; eu lhe dou um lugar dentro de mim. Você é um lembrete dos velhos tempos e eu aprendi muito com essas experiências." E é somente devido a estes altos e baixos que experimentamos, que pode amadurecer uma sabedoria que é viva em nosso interior, que sabe como "não condenar-se" e "não lutar mais contra si mesmo".

Autor: Tiago Bueno

   Boa leitura!
        

1) Textos                   2) Palestras e cursos           3)  Vídeos


4) Depoimentos       5) Atendimento terapêutico 

            




Acompanhe o Programa de rádio "Comunicação Não-Violenta no Ar".
Para ouvir, clique em:






Convite Grupo de Estudos



Grupos de Estudo sobre Escuta Empática e Comunicação Não-Violenta na cidade de Garopaba

"Percebo que se fosse estável, prudente e estático, viveria na morte. Portanto, aceito a confusão, a incerteza, o medo, os altos e baixos emocionais, porque esse é o preço que estou disposto a pagar por uma vida fluida, rica e excitante." Carl Rogers

Todo ser humano tem o seu próprio guia interno para apontar as direções do seu caminho. Para que o processo de auto atualização possa acontecer, a empatia é uma das condições fundamentais.

As emoções podem ser aliadas desse processo, se oferecermos escuta aos sentimentos e permitir que eles nos conduzam ao ponto onde nossas necessidades se encontram.

Esse grupo tem o propósito de ser um espaço livre, seguro e permanente de exercício de escuta empática, acolhimento e apoio mútuo para as transformações naturais da vida.

TODAS AS TERÇAS, 20h com Tiago Bueno 
No Mumukshu (Av. Principal, 541, Sala 8, Garopaba/SC)
Contribuição consciente (corresponsabilidade financeira)











Depoimento


Oi Tiago! Vim te escrever pra te agradecer pelo seu blog lindo. Ele faz muita diferença na minha vida e dos amigos que compartilho. Seu texto sobre conversar com a criança interior me ajudou muito no caos que estou agora e deu uma super luz pra uma amiga que está na China e duas que estão na Bolívia. Só queria compartilhar a gratidão que sentimos e dizer que sim, você está iluminando o mundo por aí...
Tatiana Lima Minardi


Publicações