sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Mãe Preta fala aos filho: desceu a Luz divina!

“Desceu a luz divina, lá na terra de São João.
Iluminou a terra inteira e renovou o nosso chão”


            Eta porquera mais bão, uai. Eu sou o que sou, minha gente. Eu sou eu mesma, com a cultura que tenho. Uai, minha Nossa Senhora! Quanta gente aqui hoje. Esse povo é bão, gosta de crescer, gosta de aprender. Parece inté os rios que vão se avolumando antes de chegar no oceano. Ocês tão crescendo em sabedoria, em virtude. Tão se integrando ao ser superior que ocês são, num é mesmo minha gente? Uai, mas antes disso, antes de ocês se integrarem com essa consciência superior que ocês são, tem que curar as feridas que ainda existem em ocês. Ocês sabem o que é ferida? Num sabe não, meu nego! Uai, sô! Nóis quer atravessar o rio e chegar na outra margem. E no meio do caminho existe a "Terra de Ninguém". É uma zona perigosa. Ocê conhece a zona perigosa, minha fia? Ocê quer uma outra realidade pra si, mas sente que já deveria ter abandonado determinados sentimentos, determinadas atitudes e comportamentos, não é mesmo? Então ocê pode ser pega pela desconfiança de si mesma e pela auto-crítica. E nóis pede que ocê se levante e confie em si mesma. Nóis tá do seu ladinho dizendo pra ocê manter a confiança. Ah, Mãe Preta conhece esse caminho, minha fia. Nega veia é experiente nesse trajeto. Ocê quer mudar de consciência mas num consegue sair dessa energia de julgamento e medo, num é mesmo?  Essa parte do caminho exige olhar pras suas feridas, mas sem perder a fé em si mesma. Começar a aceitar a si mesma do jeito que ocê é, com as porcaria que ocê tem, ouviu? Hein, minha fia? Eu to falando com ocê.

                - Ai, Mãe Preta, minha vontade é de sumir.

                - Uai, sô, que bão que ocê ouviu, minha fia. É só através da energia da aceitação que ocê cunsegue enxergar as causas e motivos da raiva e da tristeza que ocê sente. A energia da aceitação permite que as coisas se revelem como elas são. Aí, quando ocê compreende o motivo e o medo que existe por detrás das suas reações e comportamentos, ocê se perdoa. Nóis tá aqui. Nóis vai tá sempre aqui pronta pra ajudar ocê. Quando há perdão, ocê consegue seguir em frente, minha nega.

                Então zóia procê na frente do espelho, bem dentro dos zóios e diz: “Eu te amo e aceito ocê do jeito que ocê é, com as porcaria que ocê tem. Ocê é o amor da minha vida. Num existe ninguém mior e mais bonita que ocê. Ocê é a mior, a coisa mais linda e maravilhosa que já me aconteceu”. Fala assim, fala, minha fia. Vai fazendo esse exercício procê curar esse coração que ta se sentindo sozinho e desamparado. Eu, essa nega preta sem nenhum dente na boca to aqui, zoiando pra ocê, esperando que ocê cumece a se amar e se aceitar do jeito que é. Ocê nunca ta sozinha!

Mãe Preta si dispedi dizendo aos filho: muita paz!



Início
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário