segunda-feira, 25 de abril de 2011

Mãe Preta fala aos filho: aprendendo a viver




                 Como é bão tá aqui com ocês,  meus fio. Eu sempre comemoro quando dá a oportunidade de vir e falar com ocês. É tão bão poder compartilhar o que nóis tá refletindo, aprendendo, compreendendo. Nóis vem acompanhar ocês e vê os poblema, as dificuldade, as encrenca. Tanta coisa acontecendo nesse mundo di meu Deus. Enquanto uns se agita daqui e dali, os poblema do coração atormenta a maioria dos filho, num é mesmo? O bão di nóis saber é que cada um de ocês possui as respostas dos conflito e situação que escolheu vivenciar. Dentro de ocês existe um reino de sabedoria, de poder, de riqueza, capaz de trazer pra vida exterior de ocês tudo aquilo que ocês tão percurando. Ocês percuram fora, mas tá tudo dentro, uai.


                - Mãe Preta, porque que eu não consigo experimentar nada do que a senhora fala?


                - Ocê tem que afirmar quem ocê é, minha fia.


                - Mas eu não sei quem eu sou.


                - Então a Mãe Preta vai falar. Abre bem esse ouvido, minha fia. Escuita o que essa nega preta tem pra lhe dizer. Ocê é maravilhosa, divina e perfeita do jeito que ocê é. Ouviu?


                - Isso não é verdade, Mãe Preta. Eu não sou assim.


                - É mesmo, minha fia. Pruque não?


                - Eu sou cheia de defeitos, de sentimentos e pensamentos negativos.


                - Etá muié pancuda, sem vergonha, uai. Ocês adoram se guiar por rótulos, não é mesmo? Quando é que ocês vão aprender a viver com o coração, hein muié? Até quando ocê vai acreditar em rótulos e julgamentos humanos? Ocês num sabem viver mesmo.  Adoram ficar rotulando, classificando, julgando, dividindo a realidade. Viver que é bão ocês num sabem.  Quando é que ocê vai se amar do jeito que ocê é, hein sua pancuda, sem vergonha e china véia? Quando é que ocê vai deixar de procurar validação fora de ocê, através de pais, amigos ou da sociedade? Quando é que ocê vai dar um salto para a verdadeira autorização e realmente acreditar em si mesma, honrando suas inclinações naturais e seu conhecimento interior, agindo de acordo com eles? Hein, minha fia? Eu tô falando com ocê, muié.


                - Ai, Mãe Preta, a senhora é tão grossa.


                - É pra ocê num esquecer, muié.  Eu tô falando pra sacudir ocê, pra ocê levantar essa bunda e ir viver sua vida, conhecer gente nova e se ligar com o seu coração. Do nosso lado num existe julgamento. A hora que ocês pedirem nóis tamu aqui prestando nossa ajuda e apoio. E não duvidem, pruque nóis vem. Nóis vem mesmo. Somos milhões agindo em benefício de todos, sem distinção. Pode ser padre ou prostituta que pra nóis num interessa. Gente é gente, tudo filho do Pai Maior e merece nosso amor incondicional.


Mãe Preta se despedi dizendo: muita paz!



Início
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário