domingo, 28 de outubro de 2012

Viola a Lei

Inclina teus ouvidos e escuta a grande melodia que ressoa dentro de nós


Nossa voz chega como um rio de santo poder

Numa terra seca e sedenta, onde não existe água

Agora bebe desta corrente de água fresca, 

Ela arrancará de ti o ódio envelhecido daqueles que buscam encaixar as pessoas em rótulos antigos e padrões renovados.

Nossos Espíritos nasceram Livres e ilimitados


Como a estrela da manhã no meio de uma nuvem 

Como a Lua cheia, que se veste de majestade e força


Ou como um grande e arrebatador romance, que exala uma poesia visionária.

Somos seres livres e ilimitados

Nascemos para respirar a nossa própria maneira

Como uma planta que só pode viver de acordo com sua própria natureza.

Por isso vem, 

Viola a Lei

Reconhece teu direito de revolução, 

E torna tua vida numa contrafricção

Que pare a máquina, por favor!

Viemos tocar nossa própria canção


E viver dos nossos próprios impulsos criativos.

Não nascemos para ser coagidos,

Adoramos os militantes clandestinos que levam uma vida sem programação

Sem nenhuma vergonha

Sem nenhum pudor

Sem pecado algum

Sem culpa

Somos aqueles que visitam a vida inocente do entardecer para vesti-la, ao final de cada dia, com uma nova poesia!

Portanto, chegou a nossa vez

A vez dos que não se enquadram

A vez dos que perderam a faculdade de obedecer a horários.


A vez daqueles que só fazem o que querem

Queremos apenas isto: sermos confortavelmente irresponsáveis

E para minha surpresa, descobri que sou mais útil assim.

Não me encaixo mais em nenhuma rubrica, em nenhum compartimento, em nenhuma rotina.


Aliás, olhando para trás, me parabenizo por não ter cometido suicídio ao longo de tanto tempo em que vivi enclausurado numa existência de funcionário.

A sociedade agora espera por nós

Espera por pessoas inspiradas,

Desobedientes

Desviadas

Que rastrearam sua própria submissão e que ousam saltar para fora da trilha conhecida


Portanto vem

Viola a Lei

Reconhece teu direito de revolução!

E faz da tua vida uma contrafricção

Que pare a máquina, por favor!


---x----x----x----
Autor: Tiago Bueno

E-mail: tbcsol@gmail.com

Fone e whatsapp: 51- 98177893


..

Nenhum comentário:

Postar um comentário